sexta-feira, 19 de julho de 2024
Pesquisar

Justiça nega prisão preventiva a homem que matou mulher atropelada na Ponta Negra

Foto reprodução

O juiz Yuri Caminha Jorge, da Vara de Crimes de Trânsito, negou um pedido de prisão preventiva contra Leonardo Oliveira Santos, de 22 anos, que dirigia a picape que atropelou Andréia Trindade, em dezembro de 2022, na Avenida Coronel Teixeira, zona oeste de Manaus.

A decisão aconteceu após um ano e meio (dois dias após o acidente) da polícia pedir a prisão de Leonardo. De acordo com o juiz, o pedido chegou na Vara Especializada apenas em 2023, e ele abriu prazo para que o Ministério Público do Amazonas se manifestasse, o que aconteceu no dia 19 de junho de 2024. 

Ao negar o pedido de prisão, o juiz explicou que a polícia não fundamentou a necessidade para prender Leonardo preventivamente, e que a representação policial foi baseada apenas na repercussão do caso. Segundo Yuri Caminha, o homem não atrapalhou o andamento da investigação no período em que responde ao processo em liberdade. 

“Já se passaram mais de 1 ano e meio com o réu respondendo ao feito em liberdade, sem que existam notícias de ele tenha dificultado o andamento do feito ou atrapalhado as investigações e/ou colheita de provas”, disse. 

Acidente – Andreia, que tinha 46 anos, estava com seu marido, Edson Reis, aguardando o ônibus para ir ao trabalho. Em determinado momento, uma picape em alta velocidade invadiu o local, matando a mulher atropelada.

Em depoimento, o motorista negou que estivesse alcoolizado e afirmou que dormiu na casa de um amigo na noite anterior. No dia seguinte, ele teria acordado cedo e estava em direção ao trabalho, quando sentiu um “grande cansaço” e acabou dormindo ao volante.

Leonardo afirmou que acordou ao sentir o impacto, mas que não sabia que tinha causado o acidente, e por isso, seguiu o trajeto.

Deixe o seu Comentário

Justiça nega prisão preventiva a homem que matou mulher atropelada na Ponta Negra

plugins premium WordPress